quinta-feira, 6 de maio de 2010

Mazzaropi O Caipira Brasileiro No Cinema



O “Arte Do Meu Povo” nesses poucos messes de vida já homenageou Poetas, Compositores, Cantadores, Apresentadores de TV, Programas de TV, Revista, Artista Plástico, Centro de Cultura, Museóloga e hoje tem a honra de homenagear um grande CINEASTA BRASILEIRO, escrito em letras maiúsculas porque é assim que ele merece ser escrito. Ele é AMÁCIO MAZZAROPI, um homem que acreditou no Brasil Rural, e se deu bem. Como está escrito no texto de apresentação do site do seu museu : “Mazzaropi não fazia filmes sobre o Brasil. Mazzaropi fazia filmes para o Brasil.”, daí o sucesso de bilheteria de todos. Uma lição que os novos cineastas brasileiros deveriam aprender.
Esse brasileiro fenomenal nasceu no dia 09 de abril de 1912 e viajou antes do combinado, como diz o Rolando Boldrin, em 13 de junho de 1.981.

Dentre outras maravilhas sobre esse Grande brasileiro, encontrei no site http://www.museumazzaropi.com.br/# estas palavras...




“Amácio Mazzaropi ,nascido na capital de São Paulo em 9 de abril de 1912, filho de um casal classe média, Dona Clara e Bernardo - um próspero dono de mercearia - iria crescer sem problemas financeiros mas com muita preguiça: mal conseguiu terminar o ginásio. Do avô Amácio Mazzaropi (imigrante italiano que foi trabalhar nas terras do Paraná) não herdou só o nome, mas o gosto pela vida do campo que o levou um dia a pesquisar no interior o personagem de calças curtas, canela aparecendo, botinas, fala arrastada - o caipira Mazzaropi.[...]

Mazzaropi foi um artista brasileiríssimo. De origem humilde, começou no circo, foi para o rádio, passou pela TV, e chegou ao cinema, onde estreou como ator até se tornar seu próprio produtor, diretor e distribuidor, consagrando-se como um dos maiores sucessos de bilheteria.
Mazzaropi conseguiu o que ainda hoje parece quase impossível: criar uma indústria de cinema genuinamente nacional, independente (sem subsídios ou financiamentos) e, além de tudo, bem sucedida.
Certa vez, ao lhe perguntarem qual seria a razão de sua fama, ele respondeu: “O segredo do meu sucesso é falar a língua do meu povo”.
Mazzaropi não fazia filmes sobre o Brasil. Mazzaropi fazia filmes para o Brasil.

Para o enorme público brasileiro que não perdia um filme sequer, ele contou histórias que abordavam o racismo, divórcio (que a lei então proibia), as religiões, política e falou até mesmo dos problemas da devastação da natureza.
Assuntos tão sérios, ele tratava de um jeito pouco comum, a comédia. E, como ele falava “a língua do povo”, de onde ele mesmo emergiu, e de um jeito bem brasileiro, isto é, evitando o debate e o confronto com quem detém o poder, a elite, é claro, não o entendia muito bem.”




Não deixe de visitar o site http://www.museumazzaropi.com.br/# e conhecer mais desse brasileiro que merece ser reconhecido e referenciado por seus patrícios de todas as gerações pelo que fez pela nossa Cultura Popular, pela nossa Brasilidade Brasileira do Brasil.



Abaixo os filmes da carreira de Mazzaropi:

1952 - pb
ator - Sai da Frente
1952 - pb
ator - Nadando em Dinheiro

1953 - pb
ator - Candinho
1955 - pb
ator - A Carrocinha

1956 - pb
ator - O Gato de Madame

1956 - pb
ator - Fuzileiro do Amor

1957 - pb
ator - O Noivo da Girafa

1958 - pb
ator - Chico Fumaça

1958 - pb
produtor, roteirista, argumentista, ator - Chofer de Praça

1959 - pb
produtor, roteirista, argumentista, ator - Jeca Tatu

1960 - pb
diretor, produtor, ator -As Aventuras de Pedro Malasartes

1960 - pb
diretor, produtor, argumentista, ator - Zé do Periquito

1961 - pb
diretor, produtor, argumentista, ator - Tristeza do Jeca
1962 - pb
produtor, argumentista, ator - O Vendedor de Lingüiça

1963 - pb
produtor, argumentista, ator - Casinha Pequenina

1964 - pb
produtor, ator - O Lamparina
1964 - cor
produtor, roteirista, ator - Meu Japão Brasileiro

1965 - pb
diretor, produtor, argumentista, ator - O Puritano da Rua Augusta

1966 - pb
produtor, argumentista, ator - O Corinthiano

1967 - cor
diretor, produtor, argumentista, roteirista, ator -O Jeca e a Freira
1968 - cor
diretor, produtor, roteirista, ator - No Paraíso das Solteironas

1969 - cor
produtor, argumentista, roteirista, ator - Uma Pistola para Djeca




1970 - cor
produtor, argumentista, ator - Betão Ronca Ferro

1972 - cor
produtor, argumentista, ator - O Grande Xerife

1973 - cor
diretor, produtor, argumentista, ator - Um Caipira em Bariloche

1973 - cor
diretor, produtor, argumentista, ator - Portugal Minha Saudade

1974 - cor
diretor, produtor, argumentista, ator - O Jeca Macumbeiro





1975 - cor
diretor, produtor, argumentista, ator - Jeca Contra o Capeta

1977 - cor
diretor, produtor, argumentista, roteirista, ator-Jecão...Um Fofoqueiro no Céu

1978 - cor
produtor, argumentista, ator - Jeca e o seu Filho Preto

1979 - cor
diretor, produtor, argumentista, roteirista, ator- A Banda das Velhas Virgens

1980 - cor
diretor, produtor, argumentista, roteirista, ator- O Jeca e a Égua Milagrosa




“E VIVA A ARTE DO MEU POVO!!!!”

Um comentário:

  1. Visitem o blog
    http://www.valdecyalves.blogspot.com
    Leiam texto sobre CONSTRUINDO MUNDOS e vejam os 03 documentário de Valdecy Alves mais vistos no Youtube, clicando diretamente nos links do blog.

    ResponderExcluir