sexta-feira, 16 de julho de 2010

Os Nonatos, A Nova Cara Dos Violeiros Nordestinos



Esses dias, o “Arte Do Meu Povo” resolveu homenagear a nova safra de defensores da cultura popular brasileira, hoje não é diferente e os homenageados são a cara nova dos antigos violeiros, que tantas alegrias já trouxe para o Nordeste, Os Nonatos. Dois irmãos que vêm inovando com qualidade a arte da violae da poesia nordestina. Verdadeiros poetas populares, os dois têm agradado a todos os que têm contato com a sua obra.

No site www.osnonatos.com.br/ , encontrei estas informações a dupla:




“Diversidade musical, repertório bem elaborado e romantismo. Este é o tripé responsável por imprimir o estilo singular presente nas composições da dupla Os Nonatos.
Poetas incontestáveis, Nonato Neto, paraibano de Cachoeira dos Índios, e Nonato Costa, cearense de Santana do Acaraú, ao contrário do que se pensa, de parentesco têm apenas muitas afinidades e "simultaneidades" como bendiz o padrinho e comunicador Wilson Maux. “São Carne e Unha, apesar de Campos Opostos, presos a bases distintas, bem sedimentadas. Um é o contraponto do outro. Juntos, são imbatíveis. Completos.
Recentemente lançados no mercado das canções românticas, eles têm atraído uma legião de jovens seduzidos pela força mágica de canções inéditas. A Dupla tem investido em nova roupagem dos shows, acompanhados por banda própria. Nessa linha, onde o requinte das composições e o recorte intimista dão o tom, a versatilidade e identidade poética da dupla é o grande diferencial.
Consagrados pela crítica nacional, suas canções estão na boca do povo. Eles têm atraído um público diverso, são pessoas humildes do campo: o vaqueiro, o humorista, o artista, o internauta. O público mais variado curte Os Nonatos. Eles conseguiram trazer para a mesma sala os pais e os filhos, velhos e moços. Sua musicalidade atinge a todos, ao intelectual e ao homem simples. Sua sensibilidade não tem limites, por isso penetra nas diversas classes sociais e nos diversos ambientes culturais.




Em carta, enviada à Dupla, o ator Jackson Antunes anuncia o lançamento do seu novo CD CantaDor de Amores no qual, todas as 13 faixas são composições assinadas por Nonato Neto e Nonato Costa. O ator escreve: Os Nonatos além de sinônimo de qualidade, virou uma grife. Eu os procurei, para falar da minha admiração, do fã convicto que sou da dupla, que considero como Roberto e Erasmo, no campo das canções românticas, e que nos levam a sublimes sensações...
De Chico Anísio a Sérgio Reis, de Tom Cavalcante a Shaolin a opinião é a mesma: Os Nonatos são geniais. Os Nonatos, são o que há de melhor. Da mesma opinião compartilhou Oscar Niemeyer, o ator Mateus Nachtergaele, Sérgio Reis, entre outros.
Além de Jackson Antunes, Flávio José, Vicente Nery, Sirano e Sirino, Amazan, Tom Oliveira, Valdonys e mais de 35 bandas já interpretaram Os Nonatos, a exemplo de Mastruz com Leite, Cheiro de Menina, Aviões do Forró, Solteirões, Caviar com Rapadura, Saia Rodada, Cavalheiros do Forró, Garota Safada, Forró do Muído. Só este ano, entre as músicas mais tocadas que "estouraram" nas paradas de sucesso estão: Sem céu e sem chão, Um nós por dois eus, Encontrei em você, Mudar pra que?, entre outras.




Com o novo show repaginado "na agulha", quinze CD's gravados e várias canções no mercado, Os Nonatos vão conquistando outros espaços em sua trajetória musical, sempre conscientes de suas raízes e da transparência que brota de suas canções. Assim, seguem traçando sua caminhada, com muita propriedade, muita seriedade e, acima de tudo, com muito respeito pelo público que os acompanha.
E por falar em público, a dupla é acompanhada de perto por cerca de 2 milhões de telespectadores na Paraíba, através do Programa Cantos&Contos. O programa atrai cerca de mil pessoas nas gravações e vai ao ar todo domingo, às 10h, na TV Tambaú, afiliada SBT, em João Pessoa. Trata-se de um espaço que divulga a cultura regional, trazendo artistas de todo Nordeste.”






O Planeta Movido a Internet é Escravo da Tecnologia
Composição: Raimundo Nonato e Nonato Costa


O visor como tela de TV,
O teclado acessível como book
Pra maiúsculo ou minúsculo é Caps "Look" (Lock)
Pra mandar imprimir é Control P
Com o micro'' Sansung e LG e os programas que a Apple financia
A indústria da datilografia nunca mais vai fazer máquina Olivetti
E o planeta movido a internet é escravo da tecnologia
Quem se pluga em milésimo de segundo
E se conecta ao portal e seus asseclas
Basta apenas tocar numa das teclas que o visor nos transporta a outros mundos
Desde a terra dos solos mais fecundos
Ao espaço onde o vácuo se inicia
Quem formata depois cola, copia e prende o mundo na grade de um disquete
O planeta movido a internet é escravo da tecnologia
A indústria se auto-destruindo
Descartou o compacto e LP
Veio o surto da febre do CD e DVD mal chegou e já está saindo
MD não há mais ninguém pedindo
Nu''a DAT gravar ninguém confia
Fita BASF tem pouca serventia e ninguém quer mais nem ver videocassete
E o planeta movido a internet é escravo da tecnologia
Brasil SAT é mais uma criação que nos nossos vizinhos deu insônia
O Sivam espiona a Amazônia evitando que haja outro espião
É por via satélite a transmissão que não tem transmissão por outra via
Uma antena seqüestra a sintonia pra DirecTV, Sky e Net
O planeta movido a internet é escravo da tecnologia
Transatlânticos no mar fazem cruzeiros
E pelos micros das multinacionais
Hoje tem conferências virtuais com os executivos estrangeiros
O email é correio sem carteiros, tanto guarda mensagem como envia
Os robôs usam chip e bateria e videogame é brinquedo de pivete
E o planeta movido a internet é escravo da tecnologia
Cibernética na prática e no papel deixa os seres online e ganham IBOPE
Com Word tem Palm e laptop e ainda mais PowerPoint e Excel
É possível quem mora em Israel pelo Messenger teclar com a Bahia
Se os autômatos ganharem rebeldia tenho medo que a máquina nos delete
O planeta movido a internet é escravo da tecnologia
Pra prever terremotos e tufões os sismógrafos têm números numa escala
E o trem-bala é veloz como uma bala numa linha arrastando dez vagões
No Japão e na China as construções já suportam tremor e ventania
Torre, ponte, edifício, rodovia são perfeitos do jeito da maquete
E o planeta movido a internet é escravo da tecnologia
Nosso pouso na lua foi suave, um robô foi a Marte e se deu bem
Estão querendo ir ao Sol, mas o Sol tem de calor um problema muito grave
Mas a NASA não tem espaçonave que suporte essa carga de energia,
Se for feita de fibra, se desfia, e de alumínio o monstrengo se derrete
O planeta movido a internet é escravo da tecnologia
Motorola trocou técnica e conselho, Nokia e Siemens galgaram patamares
Já estão fora de moda os celulares que têm câmera e visor infravermelho
Reduzindo o tamanho de aparelho, a Pantech fez mais do que devia
Que a memória de um chip não podia ser mais grossa que a lâmina de um Gillete
E o planeta movido a internet é escravo da tecnologia
Hoje a Bombardier não fere as leis e a Embraer mãe de Sênecas e Tucanos
Invísivel aos radares há dois anos, já existe avião que a Sukhoi fez
É da Nasa o XA-43 que voando tem mais autonomia
Um piloto automático opera e guia o Airbus e o 747
O planeta movido a internet é escravo da tecnologia.






Impeachment do Amor
Composição: Nonato Costa e Raimundo Nonato


Não é possivel que eu nao possa ser feliz
Faça o favor de me deixar em paz agora
Recorra aos braços do amor que voce quis
Desocupe a minha vida, dê licença eu vou embora
Voce pra mim virou proposta recusável
E objeto descartável que se usa e joga fora
Quero apagar o que restou desta amizade
O que você não quis pra sí terá quem queira
Tomar remédio contra o vírus da saudade
Convecer meu coração que esta angústia é passageira
O seu ciúme destruiu nosso romance
E não dou segunda chance
Pra quem brincou na primeira
Pra não haver mais discussao desnecessária
Faça de conta que esse amor nunca existiu
Pra não viver sendo tratado como palha
Obrigado eu separei-me da mulher que deus me uniu
Cobrir a fita que retrata os maus momentos
Restaurando os sentimentos
Que você não destruiu
Fiz seu impeachment baseado nos seus dados
Em assembleia fiz a sua intervenção
Os seus direitos de mulher foram cassados
No plenário dos desejos vou fazer nova eleição
E eleger outra sem ciúme trauma e vício
Pra um mandato vitalício no pais do coração.





Vou tomar posse do seu coração
Composição: Os Nonatos



Pra nossa vida já tem mais de um sonho
Pra nossa casa já tem mais de um troço
Não tenho tempo de pensar em outra
Viver distante de você não posso
Outro romance por grande que seja
É impossível ser maior que o nosso
A sua boca tem sabor de mel
Tem em seus lábios essência de flor
Seja comigo mais compreensiva
O seu silêncio me provoca dor
As minhas brigas não as leve em conta
Só há ciúmes onde existe amor
Não tem limites a nossa paixão
Pra ser seu dono até com Deus eu brigo
Me sinto bem quando você me escreve
Você se sente feliz quando eu ligo
Mesmo querendo negar que a amo
Não tenho como ser só seu amigo
Entre nós dois há um desejo mútuo
Nas nossas vidas ninguém intefere
Na minha vinda me receba rindo
Na minha ausência não se desespere
Desgosto morre, esperança vive
Amor não mata, mas, saudade fere
No idioma do amor da gente
Foi excluída essa palavra não
São duas vidas num destino só
São dois destinos numa só junção
Vou ser Governo nos seus pensamentos
Vou tomar posse do seu coração.






Rancho sem porta
Composição: Raimundo Nonato e Nonato Costa


De volta ao passado
Não tem quem me mande
O quem enche os olhos
Não me enche o bucho
Eu não me deslumbro
Com carros de luxo
Me sinto pequeno
Na cidade grande
Na rua em me estresso no campo eu relaxo
Plantando e colhendo pescando em riacho
O rancho é humilde mas a terra é nossa
No subúrbio triste eu não vejo graça
Passo o dia em casa olhando quem passa
Inalo fuligem respiro fumaça
Isso não é vida pra quem é da roça
Eu ainda quero ver as matas virgens
Andar pelas trilhas e ouvir cachoeiras
Folhear cordel no meio das feiras
Sem romper os laços com minhas origens
Não sou assassino
Pra ver tanta grade
Na casa onde moro
Pra ter segurança
Por estas e outras
Eu sinto saudade
Do rancho sem porta
Onde eu fui criança
De todos os erros que eu já cometi
O pior de tudo foi mudar pr’aqui
Perdendo o costume dos costumes meus
Como os edifícios que interditam vias
Aqui as pessoas são duras e frias
E nesse corre-corre do todos os dias
O dinheiro é posto no lugar de Deus
Eu fui Incubado
No berço da flora
Tenho parentesco
Com o povo nativo
Hoje como um peixe
Fora d’água vivo
Meu mundo está dentro
Do mundo lá fora
Aquele é que é canto aquela é que é vida
Sem droga encontrada sem bala perdida
O povo é feliz e com razão de ser
Eu dou minha alma se Deus der um jeito
Pra que se refaça meu sonho desfeito
Lá se eu viver tudo que tiver direito
Antes de mil anos não dá pra viver.






Conheça o trabalho dos homenageados, acesse o site www.osnonatos.com.br/



"E VIVA A ARTE DO MEU POVO!!!"

6 comentários:

  1. parabéns, muito bom defender a cultura popular nordestina.

    ResponderExcluir
  2. nao conheço nada melhor na musica brasileira!

    ResponderExcluir
  3. É sempre muito gratificante "ler" músicas tão belas.Parabéns pelo blog.tá lindo!

    ResponderExcluir
  4. Os Nonatos!!! Inovadores e criadores,inovando a poesia matuta,falando de amor como nunca visto nem nos romances...Carismaticos simples e sabios.contando em suas musicas as historias de amor,despedidas,encontros,e primeiro lugar nas paradas de sucessos. Parabens...Abraço Ronaldo Souza (Locutor)

    ResponderExcluir
  5. è simplesmente magnífico, apreciar as obras e as atuações dos Nonatos, eles cantam o anseio do povo nordestino e enriquecem a cultura de nossa região

    ResponderExcluir