domingo, 11 de julho de 2010

Maria Dapaz, Uma Artísta Da Brasilidade, Brasileira Do Brasil



Como é bom saber que existem pessoas boas defendendo a nossa cultura popular, fazendo música brasileira de qualidade, lutando contra essa contracultura imposta pelos grandes meios de comunicação, por essa indústria musical irresponsável e insensível perante aos nossos verdadeiros valores.

A homenageada de hoje do “A Arte Do Meu Povo” é uma dessas pessoas, Maria Dapaz, uma pernambucana das boas, excelente cantora e compositora/poeta das melhores desse país.



Foi com satisfação que encontrei no site oficial dela, o http://www.mariadapaz.com/ sua própria descrição sobre vida e carreira:


“ Sou ariana, nasci no dia 25 de março de 1959 em Jaboatão dos Guararapes/PE , mas me criei no sertão, às margens do rio Pajeú, na cidade de Afogados da Ingazeira.
Começou assim...
A música se manifestou muito cedo, eu não precisava de um motivo especial para cantar. Gostava de sentar no muro do jardim da minha casa e displicentemente soltar a voz prá quem quisesse (ou não quisesse...) ouvir.
Tinha uma grande facilidade para decorar letras e melodias, era uma verdadeira esponja musical.
A programação da rádio Pajeú, eu conhecia de cor, programação, diga-se de passagem, muito eclética: Waldick Soriano, Roberto Carlos, Clara Nunes, Angela Maria para citar só alguns nomes do cancioneiro em moda na época.
Outra fonte de informação eu tinha dentro de casa,ouvindo minha mãe cantar as músicas de Luiz Gonzaga e de Vicente Celestino.
Algumas ficaram para sempre na memória como Sala de reboco, Assum preto, Kalú, Patativa, Porta aberta ...Foi essa a minha formação musical, de pé de rádio.




Aos nove anos, cantava pela primeira vez no palco do Cine São José
de Afogados da Ingazeira/PE no concurso "A mais bela voz do Nordeste" ao lado de profissionais da região e tirei o segundo lugar.
Eu era tão criança que, quando fui me inscrever, a moça me olhou demoradamente e perguntou com ironia: "Estado civil ?...". Fiquei emburrada, e quase desisti da carreira antes mesmo de começar.
Mas as minhas amigas não deixaram isso acontecer... Ainda bem !.
Tempos depois, empolgada por ter agradado o público Afogadense,
resolvi enlouquecer minha mãe pedindo um violão.
Apesar das dificuldades ela me deu esse presente.
E eu não decepcionei. Aprendi a tocar, e nunca mais me separei do instrumento.
No início dos anos 70 com alguns colegas de escola e sob a regência do maestro Dinamérico Lopes (Seu Dino) formamos o primeiro conjunto musical da cidade: " Os Unidos "
Ali, pude desenvolver mais o violão, e aprimorar o canto. Nós animávamos os bailes locais e regionais, cantando sucessos que iam de Roberto Carlos à Tina Charles.
Foi durante um desses bailes que fui convidada a integrar o super conjunto Marajoara da cidade de Sertânia, o mais requisitado na época em Pernambuco e nos estados vizinhos. (Piauí, Paraíba, Ceará, Bahia...).
É claro que aceitei o convite e passei a integrar o conjunto em 1974.
Foram muitas viagens, muitos bailes e me tornei conhecida como "Paizinha do Marajoara". Por isso que hoje, quando alguém me chama de Paizinha, tenho certeza que dançou muito ao som dos Unidos e do Marajoara.
[...]Além dos shows juninos que já fazem parte do meu roteiro, em 2004, veio a resposta com a indicação ao Grammy Latino em Los Angeles na categoria Melhor CD Regional. Fiquei muito feliz, e com isso de regional o CD passou a ser internacional, pois a divulgação do Grammy ultrapassa todas as fronteiras e o meu nome assim como o do Luiz Gonzaga correram o mundo. Manifestações de apoio chegaram de todos os cantos do Brasil e de outros países, o que foi ainda mais emocionante. Mas 2004 trouxe muito mais. A produção do clipe da TV Globo Nordeste com a música "Forró do Zé do Baile" (Severino Ramos) que consolidou de vez o trabalho de divulgação em todos os estados do Nordeste, do Piauí à Bahia. Os shows realizados em Recife (Teatro Apollo - Teatro do Parque - Livraria Cultura) e em João Pessoa no Teatro Paulo Pontes (Projeto 6 e meia). E veio o convite do produtor Paulo André, de Recife, incluindo a minha participação no projeto "Music From Pernambuco" visando a divulgar a música e os artistas de maior expressão para o mercado internacional. A música "Apaixonada eu tô" da minha autoria em parceria com Jotta Moreno foi escolhida para fazer parte do CD e DVD "Music from Pernambuco volume 2" . São 3000 exemplares de cada suporte que vão ser pulverizados nas grandes feiras musicais inernacionais começando pelo Midem (França) em janeiro de 2005 (Womex na Alemanha etc). O nome dos artistas e outros detalhes sobre este projeto se encontram no site www.musicfrompernambuco.com.br
E veio o convite do produtor Paulo André, de Recife, incluindo a minha participação no projeto "Music From Pernambuco" visando a divulgar a música e os artistas de maior expressão para o mercado internacional. A música "Apaixonada eu tô" da minha autoria em parceria com Jotta Moreno foi escolhida para fazer parte do CD e DVD "Music from Pernambuco volume 2" . São 3000 exemplares de cada suporte que vão ser pulverizados nas grandes feiras musicais inernacionais começando pelo Midem (França) em janeiro de 2005 (Womex na Alemanha etc). O nome dos artistas e outros detalhes sobre este projeto se encontram no site: www.musicfrompernambuco.com.br
A volta em São Paulo foi dedicada ao lançamento do CD (aquele!) que batizei de "2 banquinhos e 1 violão". A festa de lançamento no belíssimo Theatro São Pedro foi inesquecível. A casa estava cheia, o coquetel maravilhoso e o público, assim como no disco, cantou do início ao fim.”




Visite o site http://www.mariadapaz.com/ e conheça mais dessa maravilha que Deus colocou aqui no nosso Brasil.

Conheça agora, algumas letras de músicas dessa grande artista nacional:





A Bela Estrela do Norte
Composição: Maria Dapaz/Luis Avelima


A bela estrela do norte
Que alumeia o meu caminho
É a mesma dos pastores
Que entre cantos e amores
Me guiou pro Deus menino.

Salve, salve Casa Santa
Que é de Deus a morada
Onde o cálice guarda o vinho
E a bíblia é um pergaminho
De palavra imaculada.

A bela estrela do norte
Hoje é chamada cometa
Tira o boi da cara preta
Dessa casa abençoada
Valei-me Virgem Maria
Mãe de Deus idolatrada.





Da Cor Morena
Composição: Maria Dapaz/Jotta Moreno


A saudade tá doendo, bem querer
Já molhou o meu olhar
Sem você, sou um barco á deriva
Nesse mar que é a vida
Navegando sem parar
Na subida da maré oiê oiá
Rezo pra ela me levar .

A paixão é armadilha, é alçapão
Joga a ilusão da gente na prisão
Um olhar que seduziu
É que nem bala de fuzil no coração
O teu olhar me rendeu, ah! meu amor
Vem aqui ficar mais eu.

Quando não tô do teu lado
Tenho medo, perco o sono
O coração fica apertado
Triste feito cão sem dono
Mas se estais em meus braços
O meu viver vale á pena
O meu canto é teu regaço
Meu amor da cor morena.

Morena Sertaneja
Composição: Maria Dapaz/Jotta Moreno


Me leve com você moreninha
Me leve com você sertaneja
Esse teu olhar caboclinha
Quando encontra o meu me abraça e me beija.

Eu sinto que você nasceu pra mim
Por que eu sei que nasci pra você
Conheço teu pensar tim tim por tim tim
Te amava antes de te conhecer
Aposto que esse teu beijo é doce
Tão doce assim feito o mel da cana
Ah! morena sertaneja
Coração quando deseja não se engana.

E se você disser que também quer
A gente casa aqui agorinha
E seja tudo o que o amor quiser
Com você vai ser pra vida inteirinha
Cabocla esse teu sorriso franco
Me deixa o corpo molim molim
Ah! morena sertaneja
Eu te entrego de bandeja o coração todim.







No tempo do Candeeiro e do Abanador
Composição: Maria Dapaz/Bira Marcolino


Um dia desses num tempo que já passou
A meninada brincava na rua
Bola de gude, bola de meia
De cabra cega e amarelinha
A violência era coisa do cinema
Algum bandido que o mocinho pegou
Tempo bom que não volta mais
Do candeeiro e do abanador.

De tardezinha as cadeiras na calçada
A vizinhança vinha conversar
De tudo um pouco, da vida alheia
Da moça feia doida pra casar
O seresteiro cantava pra sua amada
Que da janela lhe sorria com amor
Tempo bom que não volta mais
Do candeeiro e do abanador.

Quando eu me lembro do meu tempo de criança
Felicidade era o dia a dia
Não tinha medo de tempestade
E a tristeza não conhecia
O tempo passa mas aqui dentro do peito
Ainda sou menino do interior
Tempo bom que não volta mais
Do candeeiro e do abanador.





Pião Lá No Terreiro
Composição: Maria Dapaz/Jotta Moreno


Soltei o pensamento
Fui passear pelas veredas do passado
Revi lugares e momentos de emoção
Felicidade andava no meu caminho
E me abraçava com suas cores tão belas
Que se espalhavam na tela do meu destino.

Gostava de ouvir cantar
Passarinho fora da gaiola
E de apreciar
O repentista entre a poesia e a viola
Pião lá no terreiro
Roda pião, roda pião, roda pião
Eu via o mundo inteiro
Rodando na palma da minha mão.

Ficava a namorar
O céu coberto de estrelas pequeninas
Sem rumo certo corriam as ilusões
Num oceano de sonhos e fantasias
Me balançava na rede da minha estória
Nunca saiu da memória o brilho daqueles dias.

Setembro
Composição: Maria Dapaz/Fátima Marcolino


Setembro me fez perder
A rima da poesia
Tirou o brilho dos versos
Que eu escrevia.

A chuva me traz saudade
O vento sopra lembranças
A lua clareia o chão
Acendendo a esperança.

Desate o laço da minha saudade
Deixe meu riso caminhar direito
Quero tomar um chá de esperança
Tirar de vez a dor que dói no peito.

Sinto saudade da chuva
De um riacho a correr
De uma estrela que deixa
Pelas paredes descer
O seu brilho amarelado
Escorrer entre o telhado
Antes do amanhecer.





"E VIVA A ARTE DO MEU POVO!!!"

3 comentários:

  1. Você só podia ser ariana, e um dia antes do meu aniversário. Com essa voz, essa alegria e esse gosto musical!!!!..

    ResponderExcluir
  2. Parabéns, Maria da Paz!!!
    Grande nome da nossa música popular.
    Meus votos de sucesso cada vez maior em sua carreira.
    Grande abraço.
    Rita Sovatti (Baby)

    ResponderExcluir
  3. Tarcísio Santiago Mendes15 de julho de 2010 12:20

    É de endoidecer! Quanto talento reunido em um só ser. Prabens Maria Dapaz, você merece e nós precisamos!

    ResponderExcluir