sexta-feira, 9 de abril de 2010

Almir Sater Um Pantanal De Cantador



O homenageado de hoje dispensa apresentação,dentro da chamada cultura popular, ele é um dos mais conhecidos do grande público, devido as suas atuações como ator. É cantador dos bons, canta o Brasil, em especial o Pantanal, onde vive.
Almir Sater é o homenageado, hoje, do “A Arte Do Meu Povo!” .


Para falar de Almir vou usar as palabras do site WIKIPEDIA:

Almir Eduardo Melke Sater (Campo Grande, 14 de novembro de 1956) é um violeiro, compositor, cantor e ator brasileiro,seu estilo caracteriza-se pelo experimentalismo,foi vencedor de dois prêmios Sharp,com as canções Moura e Tocando em Frente, gravada por Maria Bethania,o seu mais recente Album,o CD 7 Sinais,traz um repertório eclético e inovador,conta com participações especiais dos sanfoneiros Dominguinhos e Luiz Carlos Borges e se apresenta com nova banda, aprimorando ainda mais a qualidade musical dos seus arranjos;
Dono de um talento ímpar e versatilidade,como cantor, compositor, violeiro e exímio instrumentista,único a cantar em Nashville-USA,(1988),considerado o berço da música country americana,sua música é descrita como folk brasileiro,agrega uma sonoridade tipicamente caipira da viola de 10 cordas,o folk norte-americano e com influências das culturas fronteiriças do seu estado,como a música paraguaia e andina;
E o resultado é único,ao mesmo tempo reflete traços populares e eruditos, despertando a atenção de públicos diversos.
O Músico possui um carisma inexplicável ,sua personalidade simples, faz com que continue a arrastar multidões em suas apresentações,sendo,um dos artistas mais requisitados,para shows,congressos,feiras,festas juninas, casas de espetáculos e eventos corporativos;
Além da multiplicidade de talentos, o artista é defensor do meio ambiente,sempre engajado em projetos de cunho sócioambiental, estimulando à conscientização e "atitudes verdes" para a melhoria do nosso planeta, assim como a qualidade de vida dos pantaneiros;
Almir Sater obteve grande destaque,como ator nas novelas: Pantanal, Ana Raio e Zé Trovão, O Rei do Gado e Bicho do Mato,mais recentemente em 2006 ,pela Rede Record.”



Algumas das poesias de Almir Sater que ele mesmo transformou em belas canções:



Ana Raio e Zé Trovão
Almir Sater


Ana Raio e Zé Trovão diz a sabedoria
Tudo o que acontece hoje aconteceu um dia
Se esse mundo é o nosso pai o tempo é a magia
Que nos mostra a direção sem medo nem poesia
Viver é a nossa alegria, seguir é a nossa missão
E tudo se resume estar aqui um dia
Noutro dia não
Ana Raio e Zé Trovão
Ana Raio e Zé Trovão mulher e valentia
Um conhece a direção a outra a estrela guia
Um caminha pela luz a outra se alumia
São as cores do destino que os diferencia
Um dia, é um dia, é um dia
Que nasce do seu coração
E tudo se resolve na hora da aurora
Hora do clarão
Ana Raio e Zé Trovão
Ana Raio e Zé Trovão quem disse que sabia
Onde andará o vento quando é calmaria
Quem decide esta questão quem é que avalia
A nascente da canção, a mágica do dia
Pensar só nos traz alegria
Saber já é outra questão
Somente quando sonha o homem vai ao céu
E o resto é pelo chão
Ana Raio e Zé Trovão

Brasil Poeira
Composição: Almir Sater e Renato Teixeira


Ê, Brasil, poeira
Estradas de chão, violas, bandeiras
Terra de Tom, Tonico e Tião,
E Nossa Senhora, a Padroeira
Ê, paixão, primeira
E os sertões, nação das estrelas
Se o dia é luz, e a noite seduz
O coração, abre as portei.. ras
Quando o galo cantar, nos quintais do Brasil
E o sol clarear nosso chão
Vem a semente e o pão, água do ribeirão
E horizontes que ao longe se vão
Ao som dos bem-te-vis…
Quem canta, espanta, seus males se diz
Quem planta é quem colhe, é quem finca raiz
Quem canta, espanta, seus males se diz
Quem planta é quem colhe, é quem finca raiz





Ando Devagar
Almir Sater/Renato Teixeira


Ando devagar porque já tive pressa,
E levo esse sorriso, porque já chorei demais,
Hoje me sinto mais forte, mais feliz quem sabe,
Só levo a certeza de que muito pouco eu sei, ou
Nada sei, conhecer as manhas e as manhãs,
O sabor das massas e das maçãs.

É preciso amor pra puder pulsar, é preciso paz
Pra poder sorrir, é preciso a chuva para florir.
Penso que cumprir a vida, seja simplesmente
Compreender a marcha, ir tocando em frente,
Como um velho boiadeiro, levando a boiada
Eu vou tocando os dias pela longa estrada, eu vou,
Estrada eu sou, conhecer as manhas e as manhãs,
O sabor das massas e das maças,
É preciso amor pra puder pussar, é preciso paz
Pra poder sorrir, é preciso a chuva para florir
Todo mundo ama um dia, todo mundo chora,
Um dia a gente chega, no outro vai embora,
Cada um de nos compõe a sua história, cada ser em si
Carrega o dom de ser capaz, e ser feliz,
conhecer as manhas e as manhãs,
O sabor das massas e das maças,
É preciso amor pra puder pussar, é preciso paz
Pra poder sorrir, é preciso a chuva para florir
Ando devagar porque já tive pressa,
E levo esse sorriso, porque já chorei de mais,
Cada um de nos compõe a sua história, cada ser em si
Carrega o dom de ser capaz, e ser feliz.





Cabelo Loiro
Almir Sater


Cabelo loiro vai lá em casa passear
Vai vai cabelo loiro
Vai "cabá" de me matar
[2x refrão]
Quem diz que bala mata, bala não mata ninguém
A bala que mais me mata é o desprezo do meu bem
(Refrão)
Casa de pobre é ranchinho, casa de rico é de telha
Se ter amor fosse crime, minha casa era cadeia
(Refrão)
Passarinho perde as pena, o peixe perde as escama
Eu já "tô" perdendo tempo, de amar quem não me ama
(Refrão)
Vai "cabá" de me matar, vai "cabá" de me matar.

Um Violeiro Toca
Composição: Almir Sater / Renato Teixeira


Quando uma estrela cai, no escurão da noite,
e um violeiro toca suas mágoas.
Então os "óio" dos bichos, vão ficando iluminados
Rebrilham neles estrelas de um sertão enluarado.
Quando o amor termina, perdido numa esquina,
e um violeiro toca sua sina.
Então os "óio" dos bichos, vão ficando entristecidos
Rebrilham neles lembranças dos amores esquecidos.
Quando o amor começa, nossa alegria chama,
e um violeiro toca em nossa cama.
Então os "óio" dos bichos, são os olhos de quem ama
Pois a natureza é isso, sem medo, nem dó, nem drama
Tudo é sertão, tudo é paixão, se o violeiro toca
A viola, o violeiro e o amor se tocam...





"E Viva A Arte Do Meu Povo!"

9 comentários:

  1. Em qual novela vc. atuou, depois de Ana Raio e Zé trovão??

    ResponderExcluir
  2. Almir Sater é constante em minha vida. O admiro pela personalidade e atitude.

    ResponderExcluir
  3. Adoro a beleza deste homem. Amo sua voz e sua obra. Gostaria imensamente de estar com Almir um dia e encarar seu olhar manso e natural como todo povo do interior. Nascemos no mesmo 1956, eu e ele, achei que fosse ele mais velho que eu, mas grande surpresa temos a mesma idade, eu sou de setembro e ele de novembro. Beijo seu coração Almir e agradeço a Deus por vc ser simples e não se deixou afetar pelo sucesso ao grande público.

    ResponderExcluir
  4. lindo queria ser sua ana raio beijos

    ResponderExcluir
  5. ELE É MUITO LINDUUUUUUU......
    AMO ELE DE PAIXAO

    ResponderExcluir
  6. vc nao faz mais novela que pena vc podia volta vc fez muito bem as novela volte, deus te ilumine sempre deus te ama .

    ResponderExcluir
  7. vc é ótimo cantor.

    ResponderExcluir
  8. eu e meu marido te admiramos muito, e te esperamoos em Itajai no dia 23/07/2011,na festa do colono ´té breve .
    Cesar e Vera

    ResponderExcluir
  9. Rose Rodrigues de São Paulo!
    Sou uma mulher romantica e amo as suas Misicas, principalmente "Tocante em Frente". Tenho 34 anos, e sou apaixonada, pela moda de Viola, vida simples e Feliz.

    Obrigada, Violeiro!

    ResponderExcluir